Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Amália Rodrigues.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Amália Rodrigues - Fado português
Letra de: José Régio
Música de: Alain Oulman
 
o fado nasceu um dia,
quando o vento mal bulia
e o céu o mar prolongava,
na amurada dum veleiro,
no peito dum marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.

ai, que lindeza tamanha,
meu chão , meu monte, meu vale,
de folhas, flores, frutas de oiro,
vê se vês terras de espanha,
areias de portugal,
olhar ceguinho de choro.

na boca dum marinheiro
do frágil barco veleiro,
morrendo a canção magoada,
diz o pungir dos desejos
do lábio a queimar de beijos
que beija o ar, e mais nada,
que beija o ar, e mais nada.

mãe, adeus. adeus, maria.
guarda bem no teu sentido
que aqui te faço uma jura:
que ou te levo à sacristia,
ou foi deus que foi servido
dar-me no mar sepultura.

ora eis que embora outro dia,
quando o vento nem bulia
e o céu o mar prolongava,
à proa de outro velero
velava outro marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Amália Rodrigues
•  Prece
• A Minha Terra é Viana
• Abril
• Água e mel
• Ai, Mouraria
• Alfama
• Amêndoa Amarga
• Amor sem Casa
• As Facas
• Avé Maria fadista
• Barco negro
• Cansaço
• Cheira a Lisboa
• Com que voz
• Dura Memória
• É da Torre Mais Alta
• Estranha forma de vida
• Fado do Ciúme
• Fado Malhoa
• Fado português
• Fado Xuxu
• Gaivota
• Gondarém
• Grito
• Há festa na Mouraria
• Havemos de ir a Viana
• Hortelã Mourisca
• Libertação
• Lisboa Antiga
• Longe Daqui
• Madrugada de Alfama
• Maria Lisboa
• Medo (Quem dorme à noite comigo?)
• Meu Amigo Está Longe
• Meu Amor é Marinheiro
• Meu amor, meu amor
• Minha Boca não se Atreve
• Não é desgraça ser pobre
• Nem às paredes confesso
• O Malaventurado

 
 
Não há mal que bem não traga.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15828796 páginas visitadas - 71 visitantes ligados
Contacte-nos