Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Jorge Palma.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Jorge Palma - Enquanto o Pau Vai e Vem
Letra de: Jorge Palma
Música de: Jorge Palma
 
conheci-te quando eras miúdo
tinhas olhos de gato e coração de leão
todo o tempo era pouco para viver o presente
quem é que vai dar pontapés no passado
ou mandar pedras para o futuro ?
quando a chama que arde lá dentro
chega para por o mundo inteiro contente
mas depois vieram as paixões, as desilusões e os amargos de boca
vieram dias em que tudo corria mal
e a atenção fugia e assim é difícil ter-se as contas em dia
esse mar de rosas tanto tempo navegado
transformou-se dia após dia num enorme temporal

e enquanto o pau vai e vem
a confiança vai esmorecendo
e quando o pau é pontiagudo
e traz um sopro lá dentro
é o coração que vai cedendo
e um dia os buracos já são tantos
que nem a melhor agulha os pode coser
não é o fim da picada, não
é só mais um homem que vai morrendo

eu sei que tu tens coisas bonitas
para ofereceres à gente, se te puseres de pé
tens que estar à vontade dentro da tua pele
que até o melhor pintor faz borrada
se não cuidar bem do seu pincel
se não te sentires bem quando estás sózinho
como é que te vais sentir na presença dos outros ?
e quando a verdade se torna uma obsessão
acaba por ser mentira
e, às vezes, quem mais nos quer dar
é quem mais nos tira
o verbo é para ser conjugado com força, jeito e graça
tudo é relativo
nada é definitivo
tudo passa

eu sei que é difícil vermos bem
quando damos por nós no fundo do poço
mas porquê tornar pior o que já está mau
que é que adiantas em deitares-te a baixo ou lá quem está na mesma posição
tu sabes que no fundo és gentil
mas insistes em ser bruto e assim estás sempre a levar com o pau

e enquanto o pau vai e vem
a confiança vai esmorecendo
e quando o pau é pontiagudo
e traz um sopro lá dentro
é o coração que vai cedendo
e um dia os buracos já são tantos
que nem a melhor agulha os pode coser
não é o fim da picada, não
é só mais um homem que vai morrendo
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Jorge Palma
• A Bem da Nossa Civilização
• A Caminho de Casa
• A Canção de Lisboa
• A Colherzinha
• A Escola
• Á Espera do Fim
• A Estrada do Sucesso
• A Gente Vai Continuar
• Acorda, Menina Linda
• Ainda Há Estelas No Teu Olhar(II)
• Ainda Há Estrelas no Teu Olhar
• Amora Morena
• Ao Meu Encontro na Estrada
• As Coplas de Mackie Naifa
• Até Eu Voltar
• Até mais não pode ser
• Bairro do amor
• Balada dum estranho
• Beijos e Papas de Leite
• Boletim Meteorológico
• Bom Dia
• Cá Vou Andando
• Cantiga do Zé
• Cara d´Anjo Mau
• Com Uma Viagem Na Palma da Mão
• D. Quixote foi-se embora
• Dá-me lume
• Deixa-me rir
• Dilema
• Disse Fêmea
• Dizem Que Não Sabiam Quem Era
• Diz-me tu Marilu
• Dormia Tão Sossegada
• Duas Amigas
• E Como Eras Linda
• Eles Já Estão Fartos
• Enquanto o Pau Vai e Vem
• Essa miúda
• Estrela do mar
• Eternamente Tu

 
 
Vindima molhada, pipa depressa despejada.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15780146 páginas visitadas - 155 visitantes ligados
Contacte-nos