Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Camané.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Camané - A cantar é que te deixas levar
Letra de: José Mário Branco
Música de: José Mário Branco
 
a cantar, a cantar é que te deixas levar
a cantar - tantas vezes enganada te vi
ai lisboa
quem te dera estar segura
que o teu canto é sem mistura
e nasce mesmo de ti


lenço branco
perdeste-te no cais
pensaste "nunca mais"
disseram-te "até quando"?
a cantar
fizeram-te calar
a dor que, para dentro, ias chorando
tanta vez
quiseste desistir
e vimos te partir
sem norte
a cantar
fizeram-te rimar
a sorte que te davam com má sorte


a cantar, a cantar é que te deixas levar
a cantar tantas vezes enganada te vi
ai lisboa, quem te dera estar segura
que o teu canto é sem mistura
e nasce mesmo de ti


tanta vez
para te enganar a fome
usaram o teu nome
nas marchas da avenida
a cantar
puseram-te a marchar
enquanto ias cantando distraída
a cantar
deixaram-te sonhar


enquanto foi sonhar à toa
a meu ver
fizeram-te esquecer
a verdadeira marcha de lisboa


a cantar, a cantar é que te deixas levar
a cantar tantas vezes enganada te vi
ai lisboa, quem te dera estar segura
que o teu canto é sem mistura
e nasce mesmo de ti


a cantar, a cantar é que te deixas levar
a cantar tentas vezes enganada te vi
ai lisboa, quem te dera estar segura
que o teu canto é sem mistura
e nasce mesmo de ti
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Camané
• A cantar é que te deixas levar
• A luz de Lisboa (Claridade)
• À mercê de uma saudade
• A minha rua
• A saudade aconteceu
• Acordem as guitarras
• Ah quanta melancolia
• Aquela triste e leda madrugada
• Balada
• Canção
• Complicadíssima teia
• Disse-te adeus
• Dor Repartida
• Ela tinha uma amiga
• Elegia do amor
• Escada sem corrimão
• Esquina de rua
• Esta contínua saudade
• Estranho fulgor
• Eu não me entendo
• Fado da recaída
• Fado da sina
• Fado da tristeza
• Fado da vendedeira
• Fado Penélope
• Fado Sagitário
• Fecho os olhos p´ra dar
• Filosofias
• Guitarra, guitarra
• Guitarras de Lisboa
• Mais um fado no fado
• Marcha do Bairro Alto - 1995
• Maria
• Maria II
• Memórias de um chapéu
• Mote
• Não posso
• Não sei
• Noite Apressada
• O espaço e o tempo

 
 
Arrenda a vinha e o pomar se os queres desgraçar.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15779950 páginas visitadas - 131 visitantes ligados
Contacte-nos