Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Carlos Mendes.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Carlos Mendes - Calçada de Carriche
Letra de: António Gedeão
Música de: José Niza
 
luísa sobe, sobe a calçada,
sobe e não pode que vai cansada.

sobe, luísa, luísa, sobe,
sobe que sobe sobe a calçada.

saiu de casa
de madrugada;
regressa a casa
é já noite fechada.
na mão grosseira,
de pele queimada,
leva a lancheira
desengonçada.

anda, luísa, luísa, sobe,
sobe que sobe, sobe a calçada.

luísa é nova,
desenxovalhada,
tem perna gorda,
bem torneada.
ferve-lhe o sangue
de afogueada;
saltam-lhe os peitos
na caminhada.

anda, luísa. luísa, sobe,
sobe que sobe, sobe a calçada.

passam magalas,
rapaziada,
palpam-lhe as coxas
não dá por nada.

anda, luísa, luísa, sobe,
sobe que sobe, sobe a calçada.

chegou a casa
não disse nada.
pegou na filha,
deu-lhe a mamada;
bebeu a sopa
numa golada;
lavou a loiça,
varreu a escada;
deu jeito à casa
desarranjada;
coseu a roupa
já remendada;
despiu-se à pressa,
desinteressada;
caiu na cama
de uma assentada;
chegou o homem,
viu-a deitada;
serviu-se dela,
não deu por nada.

anda, luísa. luísa, sobe,
sobe que sobe, sobe a calçada.

na manhã débil,
sem alvorada,
salta da cama,
desembestada;
puxa da filha,
dá-lhe a mamada;
veste-se à pressa,
desengonçada;
anda, ciranda,
desaustinada;
range o soalho
a cada passada,
salta para a rua,
corre açodada,
galga o passeio,
desce o passeio,
desce a calçada,
chega à oficina
à hora marcada,
puxa que puxa, larga que larga,[x 4]
toca a sineta
na hora aprazada,
corre à cantina,
volta à toada,
puxa que puxa, larga que larga,[x 4]

regressa a casa
é já noite fechada.
luísa arqueja
pela calçada.

anda, luísa, luísa, sobe,
sobe que sobe, sobe a calçada, [x 3]

anda, luísa, luísa, sobe,
sobe que sobe, sobe a calçada.
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Carlos Mendes
• A Festa da Vida
• Amélia dos Olhos Doces
• Calçada de Carriche
• José embala o menino
• O Verão
• Poema do fecho éclair
• Verão
• Vidro Côncavo
• Vidro Côncavo

 
 
Quem vive no convento é que sabe o que se passa lá dentro.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15764507 páginas visitadas - 145 visitantes ligados
Contacte-nos