Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Alfredo Marceneiro.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Alfredo Marceneiro - Cabaré
Letra de: Henrique Rêgo
Música de: Alfredo Marceneiro
 
foi num cabaré de feira, ruidoso
que uma vez ouvi cantar, comovido
uma canção de rameira, sem ter gozo
que depois me fez chorar, bem sentido

era a canção da alegria, couplé novo
mas a pobre que a cantava, eu bem a vi
naquela noite sorria, para o povo
e ao mesmo tempo chorava, para si

é que a linda cantadeira, tão formosa
mais linda do que ninguem, certamente
sentia a dor traiçoeira, rancorosa
a magoar-lhe o peito de mãe, cruelmente

tinha um filhinho doente, quase á morte
e a pobre ganhava a vida, só de fel
cantando a rir tristemente, por má sorte
uma canção de perdida, bem cruel
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Alfredo Marceneiro
• A Casa da Mariquinhas
• Amor de mãe
• Amor é água que corre
• Bairros de Lisboa
• Bêbado pintor
• Cabaré
• Conceito
• Depois do Leilão
• Despedida
• Fado bailado
• Fado cravo
• Fado da balada
• Já sabem da Mariquinhas
• Janela da vida
• Laranjeira florida
• Lembro-me de ti
• Menina do mirante
• Mocita dos caracois
• O Leilão da Mariquinhas
• O louco
• O Marceneiro
• O pagem
• O Pierrot
• O remorso
• O Testamento da Mariquinhas
• Tricana
• Viela

 
 
Pau deitado não chama trovoada.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15828620 páginas visitadas - 154 visitantes ligados
Contacte-nos