Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Rui Veloso.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Rui Veloso - Arménio (o trolha da Areosa)
Letra de: Carlos Tê
Música de: Rui Veloso
 
arménio, era um trolha da areosa
que tinha, um par de olhinhos azuis
que quando, me fixavam no baile
me deixavam, indefesa e tão nervosa

arménio, tenho nas minhas gavetas
aerogramas, cheios de erros de ortografia
perfumados, entra as minhas meias pretas
aquelas que te punham, num estado de euforia

arménio, fui tua madrinha de guerra
rezei por ti, longas novenas sem fim
para voltares, inteirinho e sem mazelas
e tu lá ficaste, tão perdido no capim

arménio, quantos sonhos e planos
prometeste, que me levavas a lisboa
em junho, no dia dos meus anos
bem sabes que a memória é um atributo dos gémeos.
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Rui Veloso
• A gente não lê
• A Ilha
• A origem do mal
• A Rapariguinha do shopping
• Afurada
• Ai quem me dera a mim rolar contigo num palheiro
• Arménio (o trolha da Areosa)
• As regras da sensatez
• Avenidas
• Baile da paróquia
• Bairro do Oriente
• Balada da Fiandeira
• Caminhando até ti
• Cavaleiro andante
• Chico fininho
• Corações periféricos
• Do meu vagar
• Donzela diesel
• Elegia sanjoanina
• Estrela de Rock and Roll
• Fado do ladrão enamorado
• Fio de beque
• Inimiga de classe
• Já não há canções de amor
• Lado lunar
• Não há estrelas no céu
• No domingo fui às antas
• O prometido é devido
• O que eu quero ser quando for grande
• Paixão
• Porto Côvo
• Porto sentido
• Saíu para a rua
• Sei de uma camponesa
• Todo o tempo do mundo
• Um café e um bagaço

 
 
Não há bacorinho sem seu S. Martinho.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15828807 páginas visitadas - 62 visitantes ligados
Contacte-nos