Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Sérgio Godinho.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Sérgio Godinho - Antes o Poço da Morte
Letra de: Sérgio Godinho
Música de: Sérgio Godinho
 
como no poço da morte
como no poço da morte
a gente gira e gira e gira
a gente joga tudo
a gente arrisca a vida
a gente gira e gira
rumo à terra prometida
e quando lá chegamos
já a encontramos revolvida
a terra que sempre se desejou
e que se deixa de reconhecer
no dia em que se vai para lá morar
mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca
ficar parado?
antes o poço da morte
que tal sorte

como no poço da morte
como no poço da morte
a gente gira e nos ouvidos os motores vão formando melodias
cantadas logo em coro
p´ra conjurar avarias
que os motores nunca falhem
que esta vida são dois dias
são viras e são rocks e são hinos
que a gente deixa de saber de cor
no instante em que se acaba de cantar

mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca
ficar parado?
antes o poço da morte
que tal sorte

como no poço da morte
como no poço da morte
a gente gira contra ventos e marés
e tempestades e tornados
como os miúdos teimam
em ficar sempre acordados
e lutam contra o sono
com os olhos arregalados
assim nós também p´ra lá da fadiga
giramos acordados e dizemos:
eu tenho a morte toda p´ra dormir

mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca
ficar parado?
antes o poço da morte
que tal sorte

como no poço da morte
como no poço da morte
a gente gira e gira e queima o tempo
e queima gasolina e queima etapas
a gente puxa o brilho
aos motociclos e nas chapas
reluzem nossos fatos
nossas botas, nossas capas
e com a certeza já de estontearmos
ligamos os motores um dia mais
e vai de roda e gira sem parar

mas como se costuma dizer
tem que ser
porque parar, nunca
ficar parado?
antes o poço da morte
que tal sorte
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Sérgio Godinho
• A Barca dos Amantes
• A Boca do Lobo
• A Carolina
• A Carroça dos Poetas
• A Face Visível Da Lua
• A linda Joana
• A Minha Cachopa
• A Noite Passada
• A Paixão do velho Pires, o Marinheiro
• A Última Sessão
• A Vida É Feita de Pequenos Nadas
• A-A-E-I-O
• Aguenta Aí
• Alice No País Dos Matraquilhos
• Amores de Marta
• Antes o Poço da Morte
• Aos Amores
• Aprendi a Amar
• Arranja-me um emprego
• As Armas do Amor
• As Certezas do Meu Mais Brilhante Amor (Coisas do Amor I)
• As Dúvidas do Gaspar
• As Horas Extraordinárias
• Assim Como Um Postal Para o Canadá
• Até Domingo Que Vem
• Bacalhau Basta
• Balada da Rita
• Balada das Descobertas
• Barnabé
• Bate Coração
• Benvindo Sr. Presidente
• Bíblias de um Deus Ateu
• Bico Calado
• Bom Prazer
• Canção dos abraços
• Canção dos palhaços
• Cantiga da Velha Mãe e dos Seus Dois Filhos
• Cantiga do Camolas
• Cão Raivoso
• Caramba

 
 
Quem de vinho fala sede tem.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15780082 páginas visitadas - 155 visitantes ligados
Contacte-nos