Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: José Afonso (Zeca).

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
José Afonso (Zeca) - Canção do Vai... e Vem
Letra de: José Afonso
Música de: Paulo Armando
 
em rosa clara te vi
rosa morta te deixei
em rosa clara
algum dia te verei

na lua vinda te fiz
lua finda te entreguei
eras ela o que seria
saberei

ai amor amores
tenho eu mais dum cento
bonecas primores
cabeças de vento

cabeças de vento
não as quero eu não
ai amor amores
do meu coração

em noite larga te ardi
madrugada te apaguei
num retorno que te viva
te amarei

em rosa clara te vi
rosa morta te diexei
em rosa clara
algum dia te verei

ai amores, amores
tenho eu mais dum cento
bonecas primores
cabeças de vento

cabeças dde vento
não as quero eu não
ai amor, amores
do meu coração
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: José Afonso (Zeca)
•  Qualquer Dia
• A acupunctura em Odmira
• A Cidade
• A formiga no carreiro
• A Morte saiu à rua
• A Mulher da Erva
• A presença das formigas
• Achégate a Mim, Maruxa
• Adeus Ó Serra da Lapa
• Agora
• Ailé Ailé
• Ailé! Ailé!
• Alegria da Criação
• Ali está o rio
• Alípio de Freitas
• Altinho
• Altos Castelos
• Amor de Estudante
• Arcebispada
• As noivas dos bilros
• As Pombas
• As Sete Mulheres do Minho
• Avenida de Angola
• Bailia
• Balada Aleixo
• Balada do Outono
• Balada do sino
• Benditos
• Canção da paciência
• Canção de embalar
• Canção do Desterro (Emigrantes)
• Canção do Mar
• Canção do Vai... e Vem
• Canção Longe
• Canta Camarada
• Canta o Colie
• Canta o juiz
• Cantar alentejano
• Cantares de Andarilho
• Cantiga do Monte

 
 
Albarda-se o burro à vontade do dono.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15779994 páginas visitadas - 147 visitantes ligados
Contacte-nos