Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Sérgio Godinho.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Sérgio Godinho - Visita Guiada
Letra de: Sérgio Godinho
Música de: Sérgio Godinho
 
vinde à visita guiada
à esburacada
encruzilhada do amor
cada qual sabe de cor
(ninguem tem nada com isso!)
em que ponto de que dor
se arrisca a cauda na estrada
(é connosco o compromisso)

já se avista
o amor, mas se o ciúme
em contra-mão se desloca
choque em cadeia provoca

pega fogo num instante
mas adiante
apaga o lume
que é vital dentro da toca

e depois ninguém assume
estar por conta do ciúme
no lusco-fusco desta toca

vinde à visita guiada
à esburacada
encruzilhada do amor

agora vem
o amor, mesmo inocente
tem a inocência vigiada
faca na liga de decência

são desvios
se se está na rua errada
à hora errada
sexo errado, idade errada
são desvios da aparência

mas já se sabe:
os suores quentes
causam em bastantes gentes
suores frios
arrepios
são feitios
são bafios!

vinde à visita guiada
à esburacada
encruzilhada do amor
cada qual sabe de cor
(ninguém tem nada com isso!)
em que ponto de que dor
se arrisca a cauda na estrada
(é connosco o compromisso)

ora aí vem
o amor
e as suas atrocidades
o amor
e as suas felicidades
o amor
e as suas sacaneidades
e utros ades
e virtudes
"hádes ver!
nunca mudes
não me dês agora um beijo
e capo rente o teu desejo"

eis que chega
o amor, tem casca grossa
quando à tarde nos fascina
o amor tem casca fina
quando à noite nos destroça
e de manhã repõe promessa
assim que roça, assim que empina
junta corpos peça a peça

vinde à visita guiada
à esburacada
encruzilhada do amor

olha ao longe
o amor
avança e trava incontrolável
o amor
consequência do improvável
o amor:
ainda é possível avistar
num tronco, dois corações
sangues verdes, inscrições
em sequoia venerável?

vinde à visita guiada
à esburacada
encruzilhada do amor
cada qual sabe de cor
(ninguém tem nada com isso!)
em que ponto de que dor
se arrisca a cauda na estrada
cada qual sabe de cor
(ninguém tem nada com isso!)
em que ponto de que dor
é connosco o compromisso
(ninguém tem nada com isso!)
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Sérgio Godinho
• A Barca dos Amantes
• A Boca do Lobo
• A Carolina
• A Carroça dos Poetas
• A Face Visível Da Lua
• A linda Joana
• A Minha Cachopa
• A Noite Passada
• A Paixão do velho Pires, o Marinheiro
• A Última Sessão
• A Vida É Feita de Pequenos Nadas
• A-A-E-I-O
• Aguenta Aí
• Alice No País Dos Matraquilhos
• Amores de Marta
• Antes o Poço da Morte
• Aos Amores
• Aprendi a Amar
• Arranja-me um emprego
• As Armas do Amor
• As Certezas do Meu Mais Brilhante Amor (Coisas do Amor I)
• As Dúvidas do Gaspar
• As Horas Extraordinárias
• Assim Como Um Postal Para o Canadá
• Até Domingo Que Vem
• Bacalhau Basta
• Balada da Rita
• Balada das Descobertas
• Barnabé
• Bate Coração
• Benvindo Sr. Presidente
• Bíblias de um Deus Ateu
• Bico Calado
• Bom Prazer
• Canção dos abraços
• Canção dos palhaços
• Cantiga da Velha Mãe e dos Seus Dois Filhos
• Cantiga do Camolas
• Cão Raivoso
• Caramba

 
 
No tempo do cuco, tanto está molhado como enxuto.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15656924 páginas visitadas - 4 visitantes ligados
Contacte-nos