Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
 • Letras de: Alfredo Marceneiro.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Alfredo Marceneiro - O remorso
Letra de: João Linhares Barbosa
Música de: Indisponível
 
batem-me à porta, quem é?
ninguém responde... que medo...
que eu tenho de abrir a porta.
deu meia-noite na sé.
quem virá tanto em segredo
acordar-me a hora morta?

batem de novo, meu deus!
quem é, tem pressa de entrar,
e eu sem luz, nada se vê
a lua fugiu dos céus
nem uma estrela a brilhar
batem-me à porta, quem é?...

quem é?... quem é?... que pretende?...
não abro a porta a ninguém...
não abro a porta ´inda é cedo...
talvez seja algum doente
ou um fantasma, porém
ninguém responde... que medo.


será o fantasma dela
da que matei. não o creio!...
a vida, a morte que importa.
se espreitasse pela janela,
jesus! jesus! que receio
que eu tenho de abrir a porta.

feia noite de natal.
a esta hora o deus menino
já nasceu na nazaré.
não há perdão para meu mal
calou-se o galo. e o sino
deu meia-noite na sé.

continuam a bater
decerto que é a justiça
p´ra conduzir-me ao degredo
matei, tenho de morrer
oh! minha alma assustadiça
quem virá tanto em segredo?

seja quem for, é um esforço
vou-me entregar que tormento
que me vence e desconforta.
- ninguém bateu! oh! remorso
não é ninguém! é o vento
acordar-me a hora morta.
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Alfredo Marceneiro
• A Casa da Mariquinhas
• Amor de mãe
• Amor é água que corre
• Bairros de Lisboa
• Bêbado pintor
• Cabaré
• Conceito
• Depois do Leilão
• Despedida
• Fado bailado
• Fado cravo
• Fado da balada
• Já sabem da Mariquinhas
• Janela da vida
• Laranjeira florida
• Lembro-me de ti
• Menina do mirante
• Mocita dos caracois
• O Leilão da Mariquinhas
• O louco
• O Marceneiro
• O pagem
• O Pierrot
• O remorso
• O Testamento da Mariquinhas
• Tricana
• Viela

 
 
Sê em Agosto cuidadoso e aguilhoa o preguiçoso.


 

 

© 2003-2024 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
15848283 páginas visitadas - 79 visitantes ligados
Contacte-nos