Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
Açude - Original de João Frazão que integra o CD coletivo CAVAQUINHOS.PT editado pela A. C. Museu Cavaquinho e distribuido pela TRADISOM.
Adquira aqui: https://tradisom.com/cavaquinhos-pt
Monumentos
Capela de S. Jerónimo
Construída em 1514, dentro dos terrenos da cerca dos Monges Jerónimos do Mosteiro de Santa Maria de Belém, a Capela de S. Jerónimo, de formas sóbrias e raro equilíbrio de volumes, é um monumento que impressiona todos os que o vêem pela primeira vez.

Esta Capela, de planta quadrangular, é rematada no topo por um cordão interrompido por q...
[Ler mais...]

Castelo de Lamego
Descrição
Planta poligonal irregular, com torre de menagem voltada a Oeste, de planta quadrada, com porta de acesso em nível superior, a c. de 2 m. do solo, possuindo pequenas frestas nos alçados e algumas fenestrações (aproveitando vãos antigos) e porta a nível térreo.

É ameada e de três pisos de madeira, comunicantes entre...
[Ler mais...]

Castelo de Vila Nova de Cerveira
Situada numa pequena elevação, serviria durante muitos anos para impedir a travessia do Rio Minho. D. Dinis aumentou a vila e a fortaleza, concedendo-lhe foral em 1321.

Em 1643 o Conde de Cerveira trataria de modernizar a linha defensiva, que ficaria com cinco baluartes.

[Ler mais...]

Fortim da Areosa (ou Fortim da Vinha)
O Fortim da Areosa foi construído para protecção da entrada do rio Lima e da cidade de Viana do Castelo, segundo as novas técnicas de defesa pós-Renascença, com o uso intensivo do canhão.

Situa-se na Praia do Norte, em localização destacada, a oeste do Monte de Santa Luzia.

[Ler mais...]

Praça Forte de Valença
Valença é uma das mais importantes praças fortes do país. A actual fortificação foi edificada no século XVII frente a Tui; no entanto, as suas raízes remontam à época Romana.

Com D. Afonso V, o nome da vila mudou de Contrasta ("A que fica em frente") para Valença ("a valente"). Pelos desenhos que D. Duarte d´Armas deixou, conclui-se que ...
[Ler mais...]

Muralhas de Ponte de Lima
A Ponte Romana, passagem única do Lima, está na origem da Vila da Ponte de Afonso VII de Castela. Em 1125, D. Teresa funda Ponte de Lima dotando-a de carta de foral e de muralhas.

Em 1359, D. Pedro manda novamente cercar a vila e edificar as torres. D. Afonso V mandou que se construísse o castelo, já em 1469.

O desmantelamento...
[Ler mais...]

Castelo do Lindoso
O topónimo Lindoso deriva de Limitosum (Limesitis) e não de lindo, como fantasiosamente se afirma.

O lugar estratégico que é Lindoso, esteve sempre relacionado com a defesa de passagem pela portela da Serra Amarela e pelo Vale do Cabril, e respondendo no princípio da formação de Portugal, à concepção de uma cintura defensiva ao longo da ...
[Ler mais...]

Muralhas de Monção
Monção tem uma importância estratégica para a integridade do reino Português: sobranceira ao rio Minho, dali a Espanha são menos de duzentos metros.

A fortificação de Monção teve honras de inauguração oficial: a primeira pedra foi colocada pelo rei D. João V, o Magnânimo, que reinou entre 1706 e 1750 (ver cronologia).
[Ler mais...]

Castelo de Castro Laboreiro (ou Castro Laboredo)
Afonso III de Castela ofereceu Castro Laboreiro ao Conde D. Hermenegildo, avô de São Rosendo, por este ter vencido Witiza, que se havia revoltado. Durante o domínio do conde Galego, o castro foi adaptado a castelo, caindo depois no poder dos mouros.

Em 1044, Afonso Henriques conquista-o.

Entre 1271 e 1855, Castro Laboreiro foi...
[Ler mais...]

Forte da Lagarteira
O Forte da Lagarteira, também denominado como Forte da Âncora, localiza-se no antigo lugar da Lagarteira, actual cidade de Vila Praia de Âncora, na freguesia de Caminha, Distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Sobre uma elevação rochosa na margem direita da foz do rio Âncora, em posição dominante sobre a praia, defendia aquele porto e...
[Ler mais...]

Castelo de Sines
Com origem medieval, sofreu profundas obras de reestruturação na época do rei D. Manuel, ainda visíveis nas torres do lado poente e na Janela do Palácio do Alcaide-Mor. Na torre de menagem, onde nasceu o navegador Vasco da Gama, encontra-se hoje instalado o Museu de História Natural de Sines.
[Ler mais...]

Muralhas de Setúbal
A génese medieval de Setúbal remonta ao fim da reconquista cristã.

A tomada de Palmela aos almóadas e a doação deste castelo aos cavaleiros da Ordem de Sant´Iago, proporcionaram as condições para o repovoamento de Setúbal (a Caetobriga da época romana, provavelmente abandonada no século VI por não oferecer condições de segurança). Em 124...
[Ler mais...]

Fortaleza de S. Filipe
Por ocasião da visita de Filipe II a Setúbal, em 1582, acompanhado de especialistas na construção de fortalezas, terá surgido a mais antiga planta conhecida de Setúbal, a partir da qual se verificou a necessidade de construir uma nova fortaleza que complementaria a já existente fortaleza de Sant´Iago do Outão.

O projecto foi entregue a ...
[Ler mais...]

Fortaleza de Sant´Iago do Outão
A torre ou atalaia de vigilância da costa data de 1390. Em 1572, realizaram-se grandes obras de ampliação, durante as quais foi construído um baluarte terraplanado.

Durante os acontecimentos de 1580, a fortaleza do Outão tomou com Setúbal partido por D. António Prior do Crato. A guarnição de 100 homens com 47 canhões, comandados por Mend...
[Ler mais...]

Forte da Arrábida
Construído em 1676, após o fim da Guerra de Restauração (1668), tinha por missão reforçar com os seus canhões a defesa da costa entre o Forte de Sant´Iago de Sesimbra e o Forte do Outão. Actualmente encontra-se aí instalado o Museu Oceanográfico do Parque Natural da Arrábida.


Possui sobre a pedra d´armas a seguinte inscrição:
...
[Ler mais...]

 
Biografias de artistas
Maria de Lurdes Resende
Irrequieta e traquinas desde a mais tenra infância, Maria de Lurdes Dias Resende nasceu no Barreiro em 1927. Cantou desde que se lembra. Aliás, assim que nasceu começou a berrar, tarefa a que se dedicou durante o primeiro ano de vida, para desespero dos pais.

Ao crescer, Maria de Lurdes Resende ganhou a convicção de que seria cantora, e ...
[Ler mais...]

Max
Foi uma das mais populares vedetas da rádio, do teatro e da televisão portuguesas, desde os anos quarenta até à sua morte em 1980.

A ele se devem êxitos como Noites da Madeira, Bailinho da Madeira ou A Mula da Cooperativa. E nada faria prever que este jovem madeirense, que sonhava ser barbeiro e fora alfaiate, viria a ser um dos mais po...
[Ler mais...]

Mimi Gaspar
Lisboeta da Ajuda, Maria Luísa Martins Gaspar (para sempre conhecida e querida pelo público com o carinhoso nome artístico de Mimi Gaspar) revelou desde cedo o seu talento multifacetado.

Possuidora de uma bela voz de soprano, que utilizava com técnica e conhecimento musical, Mimi Gaspar tinha ainda inegáveis dotes de actriz, que tanto se...
[Ler mais...]

Moniz Trindade
Nascido no Barreiro, alfobre de grandes artistas da música popular, Egas Moniz Félix Trindade, viria a ter uma carreira invulgar, quer pelas suas capacidades artísticas como cantor, quer pela sua inegável vocação de compositor.

Para ele tudo começa na adolescência, em grupos musicais que forma com os amigos em Setúbal e, depois, no Barre...
[Ler mais...]

Simone de Oliveira
As personalidades artísticas não são muito frequentes. Artistas sim, mas personalidades... é outra coisa.

Personalidade nunca faltou a Simone de Oliveira. Um temperamento marcado, inequivocamente, pelo excesso: excesso de talento, de vontade, de querer. Excesso de expressão e de paixão. Dela poderá dizer-se o que de muito poucos se disse...
[Ler mais...]

Teresa Tarouca
O Salão dos Bombeiros de Oeiras foi palco da estreia de Teresa Tarouca, que cantou o fado com apenas 13 anos. Oriunda de uma família ligada à música, é prima afastada de Maria Tereza de Noronha e prima de Frei Hermano da Câmara.

Menina-prodígio durante os anos 50, assinou contrato com a RCA em 1962, para a gravação do primeiro disco. <...
[Ler mais...]

Tony de Matos
Aquele que viria a ser uma das mais carismáticas figuras da noite lisboeta nasceu filho do Porto, em 1924. António Maria de Matos, Tony de Matos para a posteridade.

Filho de artistas da companhia teatral itinerante de Rafael de Oliveira, desde cedo começou a lidar com os palcos. A oposição paterna vai contrariar, contudo, o gosto que o j...
[Ler mais...]

Tonicha
Quando vence, no palco do Tivoli, o Festival RTP da Canção com Menina, de Ary dos Santos e Nazareth Fernandes, Tonicha acaba de revelar ao público uma canção tão marcante que quase se poderia pensar que valeu toda uma carreira.

Nada mais injusto para Antónia Tonicha, alentejana de Beja, nascida em 1946. Ao longo da sua precoce e extensa ...
[Ler mais...]

Tristão da Silva
Talvez tenha sido o primeiro fadista a aproveitar com amplitude os meios de comunicação social para atingir o sucesso.

Manuel Martins Tristão da Silva, nascido em Lisboa, transportará consigo, ao longo da vida, uma identidade, um pathos genuinamente lisboeta.
Começa a cantar fado castiço desde criança, nas matinées das casas típicas...
[Ler mais...]

Vicente da Camara
Referência incontornável na história do fado, Vicente da Câmara nasce em Lisboa a 7 de Maio de 1928, em berço aristocrata, ele que dirá "O que é a aristocracia? A aristocracia tanto pode estar no povo como noutra coisa qualquer. (...) O aristocrata é aquele que sobressaiu".

Filho de D. João da Câmara, notável radialista e loctor da rádio...
[Ler mais...]

Herminia Silva
Mais de 60 peças de teatro de revista. Dez operetas. Cinco filmes. Uma peça declamada. Incontáveis fados e canções, cantados e gravados. Um número impossível de determinar de noites em que animou o Solar da Hermínia, "uma prenda do meu marido", ao qual raramente faltava "porque os clientes ficam tristes" e ela não gostava de ver ninguém triste. Est...
[Ler mais...]

Lucília do Carmo
Lucília do Carmo é unanimemente reconhecida como uma das maiores estilistas do fado do século XX. Contudo, ironicamente, poucos sabem que esta cantora identificada para sempre com a canção popular de Lisboa é natural de Portalegre, onde nasceu em 1920, embora a família se tenha radicado em Lisboa quando Lucília tinha cinco anos.

O potenc...
[Ler mais...]

Fernando Farinha
Talvez poucas pessoas saibam que esta figura tão típica da cidade de Lisboa e da sua memória nasceu, afinal, no Barreiro, em 1928. O seu pai, barbeiro, decide tentar a sorte na capital e, com 8 anos, o pequeno Fernando vem viver para o bairro do Bica.

No ano seguinte canta pela primeira vez em público, num concurso entre bairros. Triunfa...
[Ler mais...]

Deolinda Rodrigues
Talento precocemente revelado de fadista, Deolinda Rodrigues nasce em Lisboa, em Telheiras, então um aldeamento de cariz rural às portas de Lisboa. Cedo perde a mãe e a família vive com dificuldades. É na Sociedade de Recreio União Familiar de Telheiras que dá os seus primeiros passos como cantora de fados, ainda criança.

As suas quali...
[Ler mais...]

Carlos Ramos
Alfacinha de gema, Carlos Ramos tornou-se num dos fadistas mais queridos do público português, graças à sua voz quente e à sua postura modesta e discreta - e ao anormal número de grandes êxitos que teve, aliás ligados à popularidade crescente do disco e da televisão, meios de comunicação que explorou com grande sucesso no início da década de sessen...
[Ler mais...]

 
Personagens carismáticos da história de Portugal
Visconde de Juromenha
Fidalgo da Casa Real; 2.º alcaide-mor de Juromenha, 15.º senhor do morgado de Vale Formoso; senhor do morgado que instituiu o comendador de Fonte Arcada e da Granja do Ulmeiro, Diogo Delgado de Oliveira, em 1518; por mercê de D. Joio VI tinha a sobrevivência da comenda de Juromenha, da ordem de Avis, professando nesta ordem no mosteiro das comendad...
[Ler mais...]

D. José I
O Reformador; 25.º rei de Portugal.

N. em Lisboa a 6 de Junho de 1714, fal. em Ajuda a 24 de Fevereiro de 1777. Era filho de el-rei D. João V, a de sua mulher, a rainha D. Maria Ana de Áustria.

Tinha apenas 14 anos de idade quando foi contratado o seu casamento com a princesa espanhola D. Mariana Vitória, filha de Filipe V e...
[Ler mais...]

Papa João XXI
Papa, natural da cidade de Lisboa, nascido na freguesia de S. Julião e falecido em 16 de Maio de 1277.

Foi o 187.º na ordem cronológica dos papas.

Chamava se Pedro Julião, ou Pedro Hispano, como ele se chamava nas suas obras. Era filho de Julião Rebelo, pessoa nobre e de conhecida família, como mostra o apelido já por aquele...
[Ler mais...]

Infante D. João
Infante de Portugal, filho de el-rei D. João III, e de sua mulher, a rainha D. Catarina.

N. em Évora a 3 de Junho de 1537, fal. a 2 de Janeiro de 1554.

Casou em Novembro de 1552 com a princesa D. Joana, filha do imperador Carlos V. Faleceu com pouco mais de 16 anos de idade deixando sua mulher grávida do príncipe D. Sebastiã...
[Ler mais...]

D. João V
24.° rei de Portugal.

N. em Lisboa a 22 de Outubro de 1689, onde também fal. a 31 de Julho de 1750. Era segundo filho de D. Pedro II, e de sua segunda mulher, a rainha D. Maria Sofia Isabel de Neuburgo.

Falecendo seu irmão mais velho, do mesmo nome João, a 30 de Agosto de 1688, tendo apenas um mês de vida, foi proclamado prí...
[Ler mais...]

D. João III
15.° rei de Portugal.

N. em Lisboa a 6 de Junho de 1502, onde também fal. a 11 do referido mês, do ano de 1557. Era filho de el-rei D. Manuel e de sua segunda mulher, a rainha D. Maria, filha dos reis católicos Fernando e Isabel.

0 dia do seu nascimento foi assinalado por uma horrorosa tempestade, e o do baptismo por um incênd...
[Ler mais...]

D. Joana de Áustria
Era filha do imperador Carlos V, e casou com o príncipe D. João, filho de D. João III, e da rainha D. Catarina, sua mulher, irmã do referido imperador.

Casou ainda muito nova, em 11 de Janeiro de 1552, sendo seu marido ainda de menor idade, o qual faleceu com 16 anos em 1553, deixando a sua viúva em estado de gravidez. Este filho póstumo...
[Ler mais...]

Princesa Santa Joana
Princesa de Portugal, filha do rei D. Afonso V e da rainha, sua mulher, D. Isabel.

N. em Lisboa a 6 de Fevereiro de 1452; fal. no convento de Aveiro a 12 de Maio de 1490.

0 nascimento desta princesa causou o maior entusiasmo e alegria, por não haver sucessor, e logo no berço foi jurada em cortes por princesa herdeira do rein...
[Ler mais...]

D. Isabel Maria
Infanta de Portugal, sendo o seu nome completo D. Isabel Maria da Conceição Joana Gualberta Ana Francisca de Assis Xavier de Paula de Alcântara Antónia Rafaela Micaela Gabriela Joaquina Gon­zaga de Bragança e Bourbon.

Grã-cruz da ordem de Nossa Senhora da Conceição; dama das ordens de Santa Isabel, rainha de Portugal, e das Damas Nobres...
[Ler mais...]

Princesa D. Isabel
Princesa de Portugal.

N. em Lisboa a 6 de Janeiro de 1669, onde também fal. a 28 de Outubro de 1710. Era filha de D. Pedro II e de D. Maria Francisca de Sabóia Nemours, que casara com D. Afonso VI, irmão de D. Pedro, e que vivendo ainda seu marido, casou com seu cunhado.

D. Isabel foi reconhecida como princesa real e herdeir...
[Ler mais...]

D. Isabel
Imperatriz da Alemanha.

Nasceu em Lisboa a 24 de Outubro de 1503, fal. em Toledo em 1539. Era filha do rei D. Manuel e da rainha D. Maria, sua segunda mulher.

Contava 22 anos quando casou com o imperador Carlos V, que por ela se apaixonara. Este casamento foi recomendado por el-rei D. Manuel, em codicilo feito a 11 de Dezemb...
[Ler mais...]

Alexandre Herculano
Grande historiador.

N. em Lisboa a 28 de Março de 1810, fal. em Vale de Lobos a 13 de Setembro de 1877.

Era filho de Teodoro Cândido da Araújo, recebedor da antiga Junta dos Juros, hoje Junta do Crédito Publico, e de D. Maria do Carmo de S. Boaventura, filha de José Rodrigues de Carvalho, pedreiro empregado nas obras da Casa...
[Ler mais...]

D. Henrique
Foi o 17.º rei de Portugal.

Nasceu em Lisboa a 31 de Janeiro de 1512, fal. em Almeirim em igual dia do ano de 1580. Era filho de el-rei D. Manuel, e de sua segunda mulher, a rainha D. Maria; irmão de el-rei D. João III.

Destinando se à vida eclesiástica foi nomeado aos 14 anos de idade prior comendatário de Santa Cruz de Coimb...
[Ler mais...]

Conde D. Henrique
Conde de Borgonha, o Bom, fundador da monarquia portuguesa, por ter sido pai de D. Afonso Henriques, 1.º rei de Portugal. N. em Dijon em 1057, data que se considera mais provável, e fal. em Astorga em 1114. Era o 4.º filho do duque Henrique de Borgonha e de sua mulher, Sibila, neto de Roberto I, duque de Borgonha-Baixa, e bisneto de Roberto, rei de...
[Ler mais...]

Guerra Junqueiro
Bacharel formado em Direito pela Universidade de Coimbra, deputado, escritor e poeta contemporâneo, etc.

N. em Freixo de Espada à Cinta a 17 de Setembro de 1850, sendo filho do abastado negociante e lavrador José António Junqueiro Júnior, e de D. Ana Guerra, a qual faleceu quando seu filho contava apenas 3 anos de idade.

Estu...
[Ler mais...]

 
Livro de visitas
Enviado por: Carlos Valinhas
Queluz - Monte Abraão

Parabéns
Parabéns pelo altruismo e vontade de divulgar as coisas lindas na nossa música tradicional. Sou músico de FADO executando Viola de Fado e agradou-me muito ver o que divulgam sobre os instrumentos tradicionais portugueses. Bem hajam CV

[Mais comentários...]    [Escrever comentário...]
 
 
 
De Espanha, nem bom vento nem bom casamento.

Programação da rádio


 

 

© 2003-2022 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
14134128 páginas visitadas - 32 visitantes ligados
Contacte-nos