Cantos da Terra - Tradições portuguesas.
Personagens carismáticos da história de Portugal
Listagem simples
Listagem com fotografia

20 Personagens + lidos
20 Personagens - lidos

O seu donativo ajuda-nos a manter as tradições portuguesas online
Um espaço de consulta gratuita há mais de 18 anos.
Clique para ligar rádio
- Poderá continuar a navegar.

 
Açude - Original de João Frazão que integra o CD coletivo CAVAQUINHOS.PT editado pela A. C. Museu Cavaquinho e distribuido pela TRADISOM.
Adquira aqui: https://tradisom.com/cavaquinhos-pt
Monumentos
Castelo de Castro Laboreiro (ou Castro Laboredo)
Afonso III de Castela ofereceu Castro Laboreiro ao Conde D. Hermenegildo, avô de São Rosendo, por este ter vencido Witiza, que se havia revoltado. Durante o domínio do conde Galego, o castro foi adaptado a castelo, caindo depois no poder dos mouros.

Em 1044, Afonso Henriques conquista-o.

Entre 1271 e 1855, Castro Laboreiro foi...
[Ler mais...]

Forte da Lagarteira
O Forte da Lagarteira, também denominado como Forte da Âncora, localiza-se no antigo lugar da Lagarteira, actual cidade de Vila Praia de Âncora, na freguesia de Caminha, Distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Sobre uma elevação rochosa na margem direita da foz do rio Âncora, em posição dominante sobre a praia, defendia aquele porto e...
[Ler mais...]

Castelo de Sines
Com origem medieval, sofreu profundas obras de reestruturação na época do rei D. Manuel, ainda visíveis nas torres do lado poente e na Janela do Palácio do Alcaide-Mor. Na torre de menagem, onde nasceu o navegador Vasco da Gama, encontra-se hoje instalado o Museu de História Natural de Sines.
[Ler mais...]

Muralhas de Setúbal
A génese medieval de Setúbal remonta ao fim da reconquista cristã.

A tomada de Palmela aos almóadas e a doação deste castelo aos cavaleiros da Ordem de Sant´Iago, proporcionaram as condições para o repovoamento de Setúbal (a Caetobriga da época romana, provavelmente abandonada no século VI por não oferecer condições de segurança). Em 124...
[Ler mais...]

Fortaleza de S. Filipe
Por ocasião da visita de Filipe II a Setúbal, em 1582, acompanhado de especialistas na construção de fortalezas, terá surgido a mais antiga planta conhecida de Setúbal, a partir da qual se verificou a necessidade de construir uma nova fortaleza que complementaria a já existente fortaleza de Sant´Iago do Outão.

O projecto foi entregue a ...
[Ler mais...]

Fortaleza de Sant´Iago do Outão
A torre ou atalaia de vigilância da costa data de 1390. Em 1572, realizaram-se grandes obras de ampliação, durante as quais foi construído um baluarte terraplanado.

Durante os acontecimentos de 1580, a fortaleza do Outão tomou com Setúbal partido por D. António Prior do Crato. A guarnição de 100 homens com 47 canhões, comandados por Mend...
[Ler mais...]

Forte da Arrábida
Construído em 1676, após o fim da Guerra de Restauração (1668), tinha por missão reforçar com os seus canhões a defesa da costa entre o Forte de Sant´Iago de Sesimbra e o Forte do Outão. Actualmente encontra-se aí instalado o Museu Oceanográfico do Parque Natural da Arrábida.


Possui sobre a pedra d´armas a seguinte inscrição:
...
[Ler mais...]

Fortaleza de Sant´Iago de Sesimbra (ou da Praia)
No local da actual fortaleza (junto ao mar), foi construído na época de D. Manuel um forte denominado de S. Valentim. Em 1602, este forte sofreu o ataque de uma armada inglesa que o danificou severamente.

Após a restauração, em 1640, foi projectada uma fortaleza que respondia às novas técnicas militares.

Coube ao engenheiro e ...
[Ler mais...]

Forte de S. Teodósio
(Forte da Ponta do Cavalo)

Projectado em 1652 por Sebastião Pereira Frias, era o primeiro forte de uma série que se estendia até Setúbal, e enquadrava-se na nova estratégia de substituir a barragem de fogo concentrada por uma sucessão de pequenos pontos fortificados, segundo um princípio de mobilidade táctica.

De destacar o re...
[Ler mais...]

Castelo de Sesimbra
Entre o Mar e a Serra

Situado num morro sobranceiro à actual vila de Sesimbra, o castelo está cercado pelas montanhas do maciço da Arrábida, com excepção para uma abertura a sul, donde se avista o mar e parte da vila.

Não é conhecida a origem da ocupação do local onde hoje se ergue o castelo. Durante a época muçulmana f...
[Ler mais...]

Castelo de Santiago do Cacém
A Lenda Da Princesa Bizantina
"Conta a lenda que uma nobre mulher chamada Bataça Lascaris, fugindo do Mediterrâneo oriental, comandava aguerrida esquadra por ela mesmo armada. Desem- barcou em Sines e à frente do exército marchou para Sul e atacou a vila islâmica, governada por um certo Kassen. A princesa guerreira deu-lhe combate, matou Kasse...
[Ler mais...]

Castelo de Palmela
Sede da Ordem de Sant´Iago

O castelo de Palmela ergue-se no contraforte nascente da serra da Arrábida e dele se avista uma extensa área de Sines a Sintra.

De difícil acesso, possivelmente só foi ocupado em épocas de maior instabilidade militar.

Não se conhecem referências anteriores à sua conquista por D. Afonso Hen...
[Ler mais...]

Castelo de Almada
Conquistado por D. Afonso Henriques, reconquistado por Al-Mansur em 1190, e reconquistado por D. Sancho I em 1200.

Situado na margem sul do Tejo, frente à cidade de Lisboa, fizeram dele um importante ponto estratégico, sendo sucessivamente ocupado e transformado.

Actualmente na posse da Guarda Nacional Republicana, é um dos lu...
[Ler mais...]

Castelo de Alcácer do Sal
A ocupação do cerro do castelo de Alcácer do Sal remonta ao séc. VI a.C.. Eram povos com grande poder económico, como comprova a cerâmica grega descoberta na necrópole do olival do Senhor dos Mártires.

No séc. I a. C. a população de Salatia Urbes Imperatoria, participa nas lutas entre César e Pompeu tomando o partido por este último. [Ler mais...]

Castelo de Tomar
Fundado no século XII, depois de cuidadosa escolha de sítio, o castelo de Tomar tinha a finalidade de ser cabeça da Ordem do Templo e de consolidar a posse de territórios conquistados, mas não seguros. Estudaram o assunto dois notáveis estrategas, companheiros de armas e amigos - D. Afonso Henriques e Gualdim Pais, 2º Mestre da Ordem do Templo. <...
[Ler mais...]

 
Biografias de artistas
Lucília do Carmo
Lucília do Carmo é unanimemente reconhecida como uma das maiores estilistas do fado do século XX. Contudo, ironicamente, poucos sabem que esta cantora identificada para sempre com a canção popular de Lisboa é natural de Portalegre, onde nasceu em 1920, embora a família se tenha radicado em Lisboa quando Lucília tinha cinco anos.

O potenc...
[Ler mais...]

Fernando Farinha
Talvez poucas pessoas saibam que esta figura tão típica da cidade de Lisboa e da sua memória nasceu, afinal, no Barreiro, em 1928. O seu pai, barbeiro, decide tentar a sorte na capital e, com 8 anos, o pequeno Fernando vem viver para o bairro do Bica.

No ano seguinte canta pela primeira vez em público, num concurso entre bairros. Triunfa...
[Ler mais...]

Deolinda Rodrigues
Talento precocemente revelado de fadista, Deolinda Rodrigues nasce em Lisboa, em Telheiras, então um aldeamento de cariz rural às portas de Lisboa. Cedo perde a mãe e a família vive com dificuldades. É na Sociedade de Recreio União Familiar de Telheiras que dá os seus primeiros passos como cantora de fados, ainda criança.

As suas quali...
[Ler mais...]

Carlos Ramos
Alfacinha de gema, Carlos Ramos tornou-se num dos fadistas mais queridos do público português, graças à sua voz quente e à sua postura modesta e discreta - e ao anormal número de grandes êxitos que teve, aliás ligados à popularidade crescente do disco e da televisão, meios de comunicação que explorou com grande sucesso no início da década de sessen...
[Ler mais...]

Armandinho
Armando Augusto Freire de seu verdadeiro nome, Armandinho foi uma figura de importância sem igual na evolução do fado em Portugal. Verdadeira ponte entre duas eras e duas concepções do fado - o século XIX, com a sua conotação marginal e trágica, e o século XX com a popularização do género finalmente abraçado pelo grande público - deveu-se-lhe um no...
[Ler mais...]

António Mourão
Nascido em 1936, no Montijo, António Mourão parece destinado a uma vida de operário. O seu gosto pelo canto revela-se quando decide aproximar-se do mundo dos fados, em Lisboa. Assistindo a espectáculos na Parreirinha de Alfama, põe-se um dia espontaneamente a cantar. É um sucesso e fica logo ali contratado.

Em 1965 estreia-se na revista ...
[Ler mais...]

Alice Amaro
Incidentalmente fadista, é sobretudo conhecida pelas suas interpretações de marchas. De inconfundível cabeleira loura, nasceu em Alfama, Lisboa, no ano de 1936. Desde miúda gostava de cantar. É outra "colheita" do Centro de Preparação de Artistas de Rádio, dirigido por Motta Pereira.

Cantora muito comunicativa, Alice Amaro vai conquista...
[Ler mais...]

Alberto Ribeiro
Nasceu em Ermesinde em 29 de Fevereiro de 1920, de uma família de artistas. Um irmão e uma irmã também cantavam e fizeram carreiras embora mais discretas.
Mas ALBERTO RIBEIRO com a sua voz extensa, de grande facilidade nos agudos, de timbre quente, podia ter sido, em qualquer parte do mundo, um enorme cantor. Em Portugal ainda hoje é recordado...
[Ler mais...]

Ada de Castro
O bairro de Alfama viu-a nascer, em 1937. Conjugando o fado às marchas, Ada de Castro percorrerá o circuito das casas de fado, tendo gravado parte do repertório próprio já tarde na sua carreira.


PRINCIPAIS ÊXITOS:
Na Hora da Despedida, A Severa Que Me Diga, O Meu Amor É Forcado, Alguém Mandou-me Violetas
[Ler mais...]

Anita Guerreiro
Uma das atracções mais típicas e queridas da revista, Anita Guerreiro continua ainda hoje a trabalhar e a ser uma autêntica preferida do público, embora actualmente na televisão, onde participa regularmente em telenovelas e séries de comédia.

Tal como muitos outros, Anita Guerreiro começou, com apenas sete anos, por ser uma das "miúdas",...
[Ler mais...]

Paulo de Carvalho
Dele se diz, numa única palavra, tudo o que há para dizer: a "Voz". Paulo de Carvalho mereceu, ao longo de mais de três décadas de carreira, este epíteto.

Curiosamente a sua carreira musical não começa exactamente pelo canto, mas sim pela percussão, nos célebres Sheiks, onde era baterista, fazendo back-vocals. Carlos Mendes era o vocalis...
[Ler mais...]

Nuno da Câmara Pereira
Nascido em Lisboa em 1951, Nuno da Câmara Pereira pertence a uma família de fadistas. É sobrinho de Maria Tereza de Noronha e primo de Vicente da Câmara, João da Câmara e Frei Hermano da Câmara.

A primeira actuação pública de Nuno da Câmara Pereira faz-se em 1977, no Coliseu dos Recreios de Lisboa, num espectáculo de variedades. Começa a...
[Ler mais...]

Mísia
Os japoneses, os sul-coreanos e os espanhóis adoram os fados desta cantora portuguesa, filha de pai portuense e de mãe catalã, talvez mais que os seus próprios conterrâneos.

Susana, o nome próprio de Mísia, começou por cantar em Madrid no final dos anos oitenta. Emprestava a sua voz aos fados de Amália e a canções de Joan Manoel Serrat, ...
[Ler mais...]

José Cid
A primeira fase da carreira de José Cid é pioneira na busca de soluções musicais, em ruptura com as correntes estéticas dominantes.

Enquanto líder e inspirador musical do Quarteto 1111, José Cid prima pela originalidade dos seus arranjos, próximos do psicadelismo do movimento hippye, e pela ousadia social das letras das canções.
...
[Ler mais...]

João Maria Tudela
Filho de família brasonada e de haveres, João Maria Tudela nasce em Moçambique, em 1929. Até aos 13 anos estuda na África do Sul. Mais tarde, em Lourenço Marques, começa a actuar como solista no Liceu Salazar.

Tocava piano, guitarra, viola e harmónica vocal sem saber música! A sua vinda para Coimbra, como estudante, vai acentuar a sua t...
[Ler mais...]

 
Personagens carismáticos da história de Portugal
Magalhães Lima

Formado em Direito pela Universidade de Coimbra, jornalista, escritor, etc.

N. no Rio de Janeiro em 30 de Maio de 1851, sendo filho de Sebastião de Carvalho Lima, e de sua mulher, D. Leocádia Rodrigues Pinto de Magalhães.

Tinha 6 anos de idade quando veio para Lisboa, sendo entregue a um dos mais importantes negociantes ...
[Ler mais...]

Magalhães Coutinho
Director e lente jubilado da Escola Médico-cirúrgica de Lisboa; comendador da ordem de Cristo, primeiro medico da real câmara, conselheiro, director da Biblioteca Real da Ajuda, membro do Conselho Superior de Instrução Publica, deputado, sócio da Sociedade das Ciências Médicas, de que foi presidente; sócio da Academia Real das Ciências, e de muitas...
[Ler mais...]

Rodrigo da Fonseca Magalhães
Fidalgo cavaleiro da Casa Real, por alvará de 2 de Agosto de 1835; estadista notável; grã-cruz da ordem de Cristo, cavaleiro da da Torre e Espada; condecorado com a cruz n.º 4 das campanhas da guerra peninsular, e com a medalha britânica de 7 acções; par do reino; conselheiro de Estado efectivo, ministro de Estado, deputado, antigo oficial maior da...
[Ler mais...]

Bernardino Machado
Doutor e lente catedrático de Filosofia na Universidade de Coimbra, ministro de estado, vogal do Conselho Superior de Instrução Pública, deputado, sócio correspondente da Academia Real das Ciências, escritor, deputado, par do reino, actualmente presidente do directório republicano, etc.

N. no Rio de Janeiro a 28 de Março de 1851, sendo ...
[Ler mais...]

Machado de Castro
Escultor e estatuário. Nasceu em Coimbra a 19 de Junho de 1731, faleceu em Lisboa a 17 de Novembro de 1822.

Era filho de Manuel Machado Teixeira, organeiro e escultor, que, segundo dizia Machado de Castro, era dotado dum engenho e habilidade enciclopédica, e de sua primeira mulher, D. Teresa Angélica Taborda.

Seu pai, reconhe...
[Ler mais...]

Miguel Ângelo Lupi
Professor de pintura histórica na Academia de Belas Artes de Lisboa.

N. nesta cidade a 8 de Maio de 1826, onde também fal. em 26 de Fevereiro de 1883. Era filho de Francisco Lupi, de origem italiana, e de D. Maria do Carmo Lupi.

Mostrando desde criança muita vocação para o desenho, matriculou-se na Academia de Belas Artes em...
[Ler mais...]

D. Luísa de Gusmão
Rainha de Portugal, mulher de el-rei D. João IV.

N. em S. Lucar de Barrameda, na Andaluzia, Espanha, a 13 de Outubro de 1613, fal. em Lisboa a 27 de Fevereiro da 1666. Era filha do 8.º duque de Medina Sidónia D. Manuel Peres de Gusmão, e de D. Joana de Sandoval, filha do 1.º duque de Lerma, D. Francisco Sandoval, famílias de grande nob...
[Ler mais...]

Marquês do Louriçal (3º marquês)
Senhor da Ericeira, 5.º senhor de Ancião, 11.º do Louriçal, e de todos os morgados e comendas já. citados, etc., gentil-homem da câmara da rainha D. Maria I, cavaleiro da ordem do Tosão de Ouro, de Espanha; comendador da ordem de Cristo; enviado extraordinário e ministro plenipotenciário a Turim e a Roma, etc.

N. em 5 de Janeiro de 1727,...
[Ler mais...]

Duque de Loulé (1º duque)
Gentil-homem da Câmara de D. João VI e seu estribeiro-mor, 24.º senhor de Azambuja, 12.º de Póvoa de Meadas, e 14.º do morgado da Quarteira; general de divisão reformado, par do reino, ministro de Estado, deputado, conselheiro de Estado, etc. N. a 6 de Novembro de 1804, fal. em 22 de Maio de 1875. Era filho do marquês de Loulé (V. o artigo antecede...
[Ler mais...]

Francisco Lobo de Ávila
General de divisão reformado.

N. em Lagoa a 23 de Julho de 1801, fal. no Porto a 27 de Outubro de 1887. Era filho do coronel Joaquim Anastácio Lobo de Ávila e de sua mulher D. Mariana Vitória de Mendonça Pessanha, pertencente a uma das mais distintas famílias do Algarve.

Matriculou-se na Academia de Marinha, fazendo com dist...
[Ler mais...]

Carlos Lobo de Ávila
Escritor, jornalista, deputado, ministro de estado, etc.

N. em Lisboa a 17 de Março de 1860, fal. na mesma cidade a 9 de Setembro de 1895. Era filho do conde de Valbom, Joaquim Tomás Lobo de Ávila, e de sua mulher, a condessa D. Maria Francisca de Paula Orta, filha dos 1.os viscondes de Orta.

Bacharel formado em Direito pela...
[Ler mais...]

Conde de Linhares (1º conde)
Senhor de Paialvo, grã-cruz das ordens de Avis e da Torre e Espada, conselheiro de Estado, notável diplomata, etc.

N. em Chaves a 4 de Agosto de 1745, faleceu no Rio de Janeiro a 26 de Janeiro de 1812, sendo filho de D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho e de D. Ana Luísa Joaquina Teixeira. Era irmão de D. Domingos António de Sousa C...
[Ler mais...]

D. Leonor de Áustria
Rainha de Portugal; 3.ª mulher do rei D. Manuel, de quem enviuvou, casando em segundas núpcias com o rei Francisco I, de França.

N. na cidade de Lovaina, da província de Brabante, a 15 de Novembro de 1498; fal. em Taraveruella pouco distante de Badajoz, em 25 de Fevereiro de 1558. Era filha primogénita de Filipe I, 0 Formoso, arquiduque...
[Ler mais...]

Marquês do Lavradio (2º marquês)
Foi o 11.º vice-rei do Brasil, o segundo que governou aquela nossa importantíssima colónia depois que a sede do governo se transferiu para o Rio de Janeiro.

Era filho do 1.º marquês do mesmo titulo, D. António de Almeida Soares e Portugal e de sua mulher, D. Francisca das Chagas Mascarenhas. Foi nomeado vice-rei do Brasil em 1769, dura...
[Ler mais...]

Conde do Lavradio (2º conde)
Ministro de Estado, par do reino, veador da infanta D. Isabel Maria, comendador da ordem de N. Sr.ª da Conceição, grã-cruz da de Cristo, da Torre e Espada, e das seguintes estrangeiras: Leopoldo da Bélgica, Ernesto Pio de Saxónia, Guelfos de Hanover e Danebrog da Dinamarca; condecorado com a ordem da Casa de Hohenzolern de 1.ª classe, enviado em mi...
[Ler mais...]

 
Livro de visitas
Enviado por: FATIMA APARECIDA DE MORAIS MASSAROTTI
OSVALDO CRUZ--ESTADO DE SAO PAULO -BRASIL

MUSICA & RECORDAÇÃO
CAROS AMIGOS,NUNCA É TARDE PARA RECOMEÇAR SEJA LÁ O QUE FOR,DEUS NOS DÁ MUITAS OPORTUNIDADES,BASTA TERMOS CORAGEM E RECOMEÇAR, SEMPRE, E A MUSICA NÃO MORRE JAMAIS,ABRAÇOS A TODOS, E ESPECIALMENTE AO MAETRO DAVIDE CANINE DE RIO MAIOR QUE ME FEZ CONHECER O CANTO DA TERRA.

[Mais comentários...]    [Escrever comentário...]
 
 
 
Mais vale tarde do que nunca.

Programação da rádio


 

 

© 2003-2022 Cantos da Terra - Todos os direitos reservados.
13747258 páginas visitadas - 160 visitantes ligados
Contacte-nos