• Letras de: Carlos do Carmo.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Carlos do Carmo - Fado Excursionista
Letra de: José Carlos Ary dos Santos e José Mário Branco
Música de: José Afonso
 
anda depressa, ó elvirinha
já chegou a camioneta
pega na cesta e vem azinha
vamos é pôr-nos na alheta.

o pão-de-ló não dispenso
nem o arroz de cabidela
não há quem faça um farnel tão bom
não há mulher como ela
vem passear, elvirinha vem
tens um lugar à janela.

portugal que eu desconheço
em permanente excursão
no caminho em que tropeço
é qu’eu meço a solidão.

solidão de andar parado, ai!
sou um motor em viagem
será que vem? será que vai?
é só questão de embraiagem!

anda elvirinha, anda meu bem
segura na melancia
se não te importas traz-me também
o arroz doce da tia.

não te esqueças da mantinha
nem do banco desdobrável
traz, elvirinha, traz a sombrinha
que o campo é descapotável
ai elvirinha, traz a sombrinha
que o tempo está variável

portugal que eu desconheço
em permanente excursão
no caminho em que tropeço
é qu’eu meço a solidão.

solidão de andar parado, ai!
sou um motor em viagem
será que vem? será que vai?
é só questão de embraiagem!

anda elvirinha p’ra camioneta
já vejo a nossa comadre
e mais a outra da roupa preta
que é irmã do senhor padre.

temos bela companhia
que excursão tão porreirinha...
mas o que é isto? a tua tia
não me disseste que vinha.
se for com ela estraga-se o dia
volta p’ra casa, elvirinha
não ”vou à bola” com a tua tia
volta p’ra casa, elvirinha
ficas em casa, elvirinha
ficas comigo, elvirinha
vamos p’ra casa, elvirinha
ai que domingo, elvirinha
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Carlos do Carmo
• Balada para uma velhinha
• Canoas do Tejo
• Cantiga de Maio
• Estrela da tarde
• Fado da pouca sorte
• Fado das Amendoeiras
• Fado do Campo Grande
• Fado dos azulejos
• Fado Excursionista
• Fado varina
• Lisboa menina e moça
• Maria-criada, Maria-senhora
• Maria-criada, Maria-senhora
• Namorados da cidade
• No teu poema
• Nova Feira da Ladra
• Novo fado alegre
• O amarelo da Carris
• O Cacilheiro
• O homem das castanhas
• Onde é que tu moras?
• Os lobos e ninguém
• Poema do fecho éclair
• Retalhos da Vida de Um Médico
• Rosa da noite
• Um homem na cidade
• Uma flor de verde pinho
• Uma flor de verde pinho

 
 

 

© 2003-2018 Canto da Terra - Todos os direitos reservados.
Desenhado para IE 5.x - Resolução mínima: 1024x768.
10109099 páginas visitadas - 63 visitantes ligados
Contacte-nos