• Letras de: Amália Rodrigues.

2564 letras disponíveis para consulta

(estas letras no seu site...clique aqui!)
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
Amália Rodrigues - Uma casa portuguesa
Letra de: Reinaldo Ferreira
Música de: V. M. Sequeira; Artur Fonseca
 
numa casa portuguesa fica bem
pão e vinho sobre a mesa.
quando à porta humildemente bate alguém,
senta-se à mesa co´a gente.
fica bem essa fraqueza, fica bem,
que o povo nunca a desmente.
a alegria da pobreza
está nesta grande riqueza
de dar, e ficar contente.

quatro paredes caiadas,
um cheirinho á alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um são josé de azulejo
sob um sol de primavera,
uma promessa de beijos
dois braços à minha espera...
é uma casa portuguesa, com certeza!
é, com certeza, uma casa portuguesa!

no conforto pobrezinho do meu lar,
há fartura de carinho.
a cortina da janela e o luar,
mais o sol que gosta dela...
basta pouco, poucochinho p´ra alegrar
uma existéncia singela...
é só amor, pão e vinho
e um caldo verde, verdinho
a fumegar na tijela.

quatro paredes caiadas,
um cheirinho á alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um são josé de azulejo
sob um sol de primavera,
uma promessa de beijos
dois braços à minha espera...
é uma casa portuguesa, com certeza!
é, com certeza, uma casa portuguesa!
 
 
««« Voltar | Versão de impressão Versão para impressão
 
 
Outras letras de: Amália Rodrigues
•  Prece
• A Minha Terra é Viana
• Abril
• Água e mel
• Ai, Mouraria
• Alfama
• Amêndoa Amarga
• Amor sem Casa
• As Facas
• Avé Maria fadista
• Barco negro
• Cansaço
• Cheira a Lisboa
• Com que voz
• Dura Memória
• É da Torre Mais Alta
• Estranha forma de vida
• Fado do Ciúme
• Fado Malhoa
• Fado português
• Fado Xuxu
• Gaivota
• Gondarém
• Grito
• Há festa na Mouraria
• Havemos de ir a Viana
• Hortelã Mourisca
• Libertação
• Lisboa Antiga
• Longe Daqui
• Madrugada de Alfama
• Maria Lisboa
• Medo (Quem dorme à noite comigo?)
• Meu Amigo Está Longe
• Meu Amor é Marinheiro
• Meu amor, meu amor
• Minha Boca não se Atreve
• Não é desgraça ser pobre
• Nem às paredes confesso
• O Malaventurado

 
 

 

© 2003-2017 Canto da Terra - Todos os direitos reservados.
Desenhado para IE 5.x - Resolução mínima: 1024x768.
9557552 páginas visitadas - 215 visitantes ligados
Contacte-nos