• Biografia de: Filipe Pinto
 

Filipe Pinto

A Filipe Pinto se atribui a célebre expressão ”Silêncio, que se vai cantar o Fado!”.

Não há forma de garantir que lhe pertença efectivamente a autoria, contudo a sua plausibilidade deve-se claramente à presença de Pinto como uma figura tutelar do meio fadista durante os anos trinta, quarenta e cinquenta, não apenas como cantor e compositor mas também como director artístico, actividade que exerceu por exemplo no Solar da Alegria.

Nascido em Lisboa em 1905, foi com apenas 15 anos que Filipe Pinto começou a cantar o fado, como amador, apresentando-se em seguida em festas particulares que o ajudaram a ganhar experiência.

O cuidado que colocava na sua indumentária valeu-lhe a designação ”Marialva do Fado”, embora Pinto mantivesse empregos diurnos que lhe permitiam sustentar a sua carreira.

Vencedor de vários concursos de fado, Filipe Pinto tornar-se-ia profissional no célebre Ferro de Engomar, um dos mais famosos restaurantes típicos da Lisboa bairrista da primeira metade do século XX e sítio onde muitos fadistas de bom nível lançaram as suas carreiras. Daí passaria para retiros como a Severa ou o Café Mondego.

Igualmente compositor de vários temas de êxito, contam-se contudo pelos dedos as suas gravações e a sua importância para o desenvolvimento do fado é devida sobretudo à sua actividade como figura tutelar.

De facto, a sua opinião era muito respeitada no meio e a sua temporada como director artístico e gerente do Solar da Alegria - que o viu apadrinhar importantes nomes novos - veio consolidar a sua posição como incansável divulgador e descobridor de talentos fadistas. Faleceu em Lisboa em 1968.

 
 
««« Voltar
 
 

 

© 2003-2017 Canto da Terra - Todos os direitos reservados.
Desenhado para IE 5.x - Resolução mínima: 1024x768.
9570036 páginas visitadas - 234 visitantes ligados
Contacte-nos