• Biografia de: Amália Rodrigues
 

Amália Rodrigues

Amália Rodrigues é hoje considerada uma das figuras mais importantes da história do fado, tendo atingido o estatuto de "ícone" nacional. Para muitos, simboliza a própria essência do fado, e mesmo da identidade portuguesa. A sua carreira artística, longa e muito produtiva, atravessa e marca toda a história do fado na segunda metade do século.

Amália, como lhe chamam todos os que a admiram, cresceu no bairro operário de Alcântara, em Lisboa. Mas as suas raízes são rurais. Os pais eram originários da Beira Interior. O pai tocava na Filarmónica de Castelo Branco. Vindos para Lisboa numa mal sucedida procura de trabalho, regressaram às origens deixando a pequena ao cuidado dos avós.

Após quatro anos de escola primária, Amália começou a ganhar a vida. Desde logo os bordados, depois uma fábrica de bombons, finalmente a venda de fruta no porto de Lisboa. A sua voz e talento causavam admiração à família, aos vizinhos, aos amigos.

Em 1939 foi contratada para cantar no Retiro da Severa, uma das mais prestigiadas casas típicas de Lisboa, onde actuaram artistas tão importantes como Armandinho, Alfredo Marceneiro e Ercília Costa. Entre 1940 e 1947 participa em diversas Revistas e Operetas nos teatros Maria Vitória, Apoio e Variedades, continuando sempre a actuar nas casas de fado, onde atraía um enorme público.

As suas primeiras tournées ao estrangeiro, verdadeiros prenúncios de uma extensa e fulgurante carreira internacional, ocorrem em 43 (Espanha) e 44 (Brasil). Desde então canta perante entusiásticos públicos nos cinco continentes. Participou em 11 filmes, onde revelou insuspeitados dotes de actriz.

MARCOS PRINCIPAIS DA SUA CARREIRA:

1939 Estreia-se no Retiro da Severa.
1941 Primeira revista: Espera de Toiros, no Teatro Variedades.
1943 Actua pela primeira vez no estrangeiro (Espanha).
1944 Digressão triunfal ao Brasil. 1947 Estreia-se no cinema,com o filme Capas Negras.
1949 Primeiras actuações em Paris e em Londres.
1951 Grava pela primeira vez em Portugal.
1952 Actua em Nova Iorque, no La Vie en Rose.
1956 Primeira actuação no Olympia de Paris, como "vedeta americana", passando, pouco depois, a vedeta principal.
1962 Inicia a sua colaboração com Alain Oulman, no disco Amália Rodrigues.
1967 Nova temporada no Olympia de Paris.
1969 Actua na União Soviética.
1970 Grava Com que Voz, álbum inovador e um clássico da renovação do fado. Canta, pela primeira vez, no Japão.
1977 Actua no Carnegie Hall, em Nova Iorque.
1985 Como solista dá um concerto histórico no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

 
 
««« Voltar
 
 

 

© 2003-2017 Canto da Terra - Todos os direitos reservados.
Desenhado para IE 5.x - Resolução mínima: 1024x768.
9566427 páginas visitadas - 282 visitantes ligados
Contacte-nos